Na quinta-feira passada (5), a indústria de telecomunicações da Europa criticou propostas de ajustes nas regras da União Europeia que regem WhatsAppeSkype. Esses ajustes endureceriam as normas enfrentadas pelos provedores de telecomunicações para usar metadados de comunicações eletrônicas.

Tanto o WhatsApp, do Facebook, quanto o Skype, de propriedade da Microsoft, estão sujeitos às mesmas regras que os provedores de telecomunicações na UE, segundo a agência de notícias Reuters.

Todos os 27 países do bloco vêm lutando para encontrar um ponto em comum sobre o regulamento de privacidade eletrônica redigido em 2017 pela Comissão Europeia. O principal motivo de desacordo envolve as regras para cookies que rastreiam atividades online de usuários, cruciais para publicidade direcionada e requisitos de consentimento.

A UE funciona com esquema de presidência rotativa, e no momento quem ocupa o posto é a Alemanha. Na mesma quinta-feira (5), o país compartilhou suas propostas de ajustes nas regras com os outros membros do bloco.

publicidade

Reprodução

Grupos de telecomunicações da UE não aceitaram as novas regras propostas pela Alemanha. Imagem: PopTika/Shutterstock

O documento obtido pela Reuters reduz os fundamentos legais para provedores de telecomunicações usarem metadados de comunicações eletrônicas para processar os dados ou para outros fins. Esse é um grande golpe na indústria, que busca utilizar dados de localização de rede para serviços de transportes inteligentes como um potencial gerador de dinheiro.

O grupo de lobby ETNO, que tem como membros Orange, Telefonica e Deutsche Telekom, assim como o grupo de operadoras de telefonia móvel GSMA foram bastante severos com a proposta alemã. “O texto proposto pela Alemanha falha em preencher a lacuna entre a proteção da privacidade e a confidencialidade e o estímulo à inovação nos provedores de serviços europeus”, disseram eles em comunicado conjunto.

Os grupos pedem que outros países da UE não apoiem a proposta, a menos que esta lhes dê mais liberdade para usar os metadados para fins legítimos e posterior processamento compatível.  bloco precisa chegar a um acordo antes de discutir os detalhes da regra com a Comissão Europeia e o Parlamento Europeu.

Via:Reuters