Umlevantamentofeito pela Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) dos EUA sobre o número de baleias-cinzentas que vivem no norte do Oceano Pacífico aponta que a população vem diminuindo continuamente ano após ano. 

População de baleias-cinzentas vem diminuindo continuamente ano após ano no oceano Pacífico. Imagem: Alexander Machulskiy – Shutterstock

De acordo com a avaliação, a quantidade de baleias-cinzentas que migram ao longo da costa oeste da América do Norte caiu 38% em relação ao seu pico em 2015 e 2016 (de 27 mil espécimes para 16.650 em 2022). O estudo diz ainda que, neste ano, o número de filhotes detectados foi o menor registrado desde que as análises começaram, em 1994.

Normalmente, a contagem populacional de baleias-cinzentas naquela área é feita ao longo de um período de dois anos. No entanto, a NOAA vai adicionar um terceiro ano contando espécimes que vivem ao longo da costa central da Califórniapara complementar esta pesquisa.

“Dada a contínua queda nos números desde 2016, precisamos monitorar de perto a população para ajudar a entender o que pode estar impulsionando a tendência”, disse David Weller, diretor da Divisão de Mamíferos Marinhos e Tartarugas do centro científico, em comunicado. “Observamos a população mudando ao longo do tempo e queremos ficar por dentro disso”.

publicidade

Um aumento nos encalhes de baleias-cinzentas fez a NOAA declarar um Evento de Mortalidade Incomum (UME, na sigla em inglês) para a população em 2019, o que levou a uma investigação sobre as causas prováveis. Essa investigação identificou mudanças ecológicas no Ártico que afetam o fundo do mar, bem como os anfíbios e outros invertebrados que vivem dentro e acima do sedimento e na coluna de água onde as baleias-cinzentas se alimentam a cada verão.

“Algumas delas podem ter lutado para encontrar comida em meio a essas mudanças”, disse Weller. Ele observou que as baleias-cinzentas se alimentam de uma grande variedade de presas em uma enorme faixa, então muitas variáveis podem estar afetando como, quando e onde esses animais encontram comida.

Embora muitas das cerca de 600 baleias mortas registradas de 2019 a 2022 pareçam desnutridas, em algumas não era o caso. Certas baleias encalhadas tinham claramente morrido de outras causas, como choque de navios ou predação por orcas. 

“Não há uma coisa que possamos apontar que explique todos os encalhes”, disse Deborah Fauquier, médica veterinária do Programa de Saúde e Resposta a Mamíferos Marinhos da NOAA Fisheries, que coordena a investigação da UME. “Parece haver vários fatores que ainda estamos trabalhando para entender”.

População de baleias-cinzentas reflete mudança nas condições oceânicas

Baleias-cinzentas são conhecidas por sua migração visível ao longo da costa oeste a cada ano. A população já oscilou amplamente antes, incluindo uma queda semelhante de cerca de 40% do final dos anos 1980 até o início da década de 1990.

Mais tarde, a população se recuperou para um novo ponto alto, a tal ponto que as baleias-cinzentas foram removidas da lista de espécies ameaçadas em 1994.

Um aumento semelhante nos encalhes levou à declaração de um UME anterior em 1999 e 2000, quando a população diminuiu em cerca de 25%. Um tempo depois, voltou ao auge, em 2015 e 2016. 

Migrações sazonais de baleias-cinzentas expõe os animais a muitos agentes estressores ao longo de jornadas de 16 mil km. Imagem: Andrei Stepanov – Shutterstock

A maioria das baleias-cinzentas migra entre áreas de alimentação no Ártico durante o verão e lagoas na Baja Califórnia (México) no inverno, onde alimentam seus filhotes recém-nascidos. Esta ida e volta anual de mais de 16 mil km as expõe a muitos agentes estressores pelo caminho. 

“A população provavelmente sempre oscilou em resposta às mudanças em seu ambiente, sem efeitos duradouros”, disse o biólogo Tomo Eguchi, principal autor dos novos relatórios da NOAA sobre a abundância populacional de baleias e o nascimento de filhotes. “A população se recuperou várias vezes da baixa contagem no passado. Estamos cautelosamente otimistas de que o mesmo acontecerá desta vez. O monitoramento contínuo determinará se e quando elas se recuperam”.

Como a população de baleias-cinzentas no geral, o número de filhotes nascidos a cada ano também tem oscilado. Baixas contagens foram registradas por períodos de três a quatro anos de cada vez antes de se recuperar. 

Dois dos três períodos anteriores de baixo nascimento de filhotes coincidiram com UMEs e declínios na população. Isso sugere que os mesmos fatores que afetam a sobrevivência das baleias-cinzentas provavelmente também afetam sua reprodução.

Leia mais:

Fotografias aéreas de baleias-cinzentas nas lagoas no México mostraram declínios na condição corporal de muitas baleias adultas, ressaltando essa conexão. “Dependendo da idade das baleias, essa condição corporal inferior pode ter levado à reprodução retardada e à menor contagem de filhotes, e/ou à redução da sobrevivência”, relataram os cientistas.

Dentro de dois meses, as equipes começarão a próxima contagem treinando binóculos em baleias que migram para o sul após o Granite Canyon, abaixo da Baía de Monterey, na Califórnia. “O que esperamos ver nos próximos anos é que a abundância se estabilize e, em seguida, comece a mostrar sinais de aumento”, disse Fauquier. “Estaremos observando de perto”.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do dddleao? Inscreva-se no canal!