Cientistas da Chinadizem que o gigantesco radiotelescópio “Olho do Céu”, localizado em Guizhou, uma província montanhosa no sudoeste do país, descobriu informações inéditas sobre a Via Láctea. 

Telescópio Esférico de Rádio de Abertura de 500 metros (FAST), informalmente chamado de “Olho do Céu”. Imagem: Ou Dongqu/Xinhua/ZUMA

De acordo com a agência de notícias governamental Xinhua, o Telescópio Esférico de Rádio de Abertura de 500 metros (FAST), como é formalmente denominado, é o maior e mais sensível radiotelescópio do mundo, além de ser o único telescópio gigante de prato individual em todo o planeta

Ele captou detalhes sem precedentes sobre o meio interestelar galáctico – o espaço existente entre as bilhões de estrelas da Via Láctea.

Liderada por Han Jinlin, cientista dos Observatórios Astronômicos Nacionais da China, a equipe de pesquisa publicou suas novas descobertas no sábado (10) na revista Science China: Physics, Mechanics & Astronomy.

publicidade

Segundo Han, durante o levantamento sensível de pulsares usando o FAST, os dados da linha espectral do meio interestelar foram registrados simultaneamente. Embora o refinamento da calibração ainda esteja em andamento, os resultados disponíveis já são os mais sensíveis para detectar nuvens neutras de gás hidrogênio até o momento.

Distribuição de gás ionizado no espaço interestelar da Via Láctea revelada pelo FAST. Imagem: Xinhua

Os pesquisadores também revelaram regiões iluminadas por estrelasbrilhantes e um gás ionizado difuso de origem desconhecida. Para cientistas de todo o mundo, os campos magnéticos galácticos que permeiam o meio interestelar são extremamente difíceis de medir. 

Distribuição de gás hidrogênio no espaço interestelar da Via Láctea revelada pelo FAST. Imagem: Xinhua

Han e sua equipe confiaram na sensibilidade do FAST para analisar o efeito Faraday (fenômeno de polarização da luz através de relações entre a eletricidade e o magnetismo) de um grande número de pulsares fracos, identificando os campos magnéticos da Via Láctea em uma faixa muito mais ampla no disco galáctico e no halo. “Sem o FAST, o campo magnético interestelar em uma região tão ampla nunca seria detectado”, disse o investigador principal.

Ele explica que, caracterizados por alta sensibilidade, alta resolução espectral e alta resolução espacial, os dados da linha espectral são um recurso extremamente valioso para estudar a estrutura da Via Láctea e o ciclo ecológico interestelar.

“Os bancos de dados de hidrogênio neutro e hidrogênio ionizado publicados por esses artigos são recursos valiosos para astrônomos de todo o mundo”

Jing Yipeng, membro da Academia Chinesa de Ciências e professor da Universidade Jiao Tong, de Xangai.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do netbet? Inscreva-se no canal!