Por décadas a humanidade liberou grandes volumes de clorofluorcarbonos (CFCs) na atmosfera da Terra. Hoje, sabemos que eles foram os responsáveis por destruir parte da camada de ozônio. Mas e se eles puderem servir com outro propósito? Um cientista acredita que esses gases podem indicar vida extraterrestre.

Leia mais

Segundo González Abad, cientista atmosférico do Centro Harvard-Smithsoniano de Astrofísica, nos Estados Unidos, se alguma população alienígena poluísse seu mundo como nós fizemos com o nosso no século 20, os telescópios poderiam simplesmente detectar a presença de CFCs na atmosfera de outros planetas.

Esta seria, potencialmente, uma indicação de uma cultura rica em tecnologia em outro ponto do universo – o que os cientistas chamam de “tecnoassinatura”. Também indicaria que talvez não sejamos os únicos a destruir um planeta.

publicidade

Ao longo dos anos, pesquisadores vêm se debruçando bastante sobre essa possibilidade. Eles encontraram diversas possíveis tecnoassinaturas, do excesso de luz até fragmentos espaciais ou gases nocivos na atmosfera de um planeta extraterrestre. As informações são da BBC.

Horizonte da Terra com Sol aparecendo
A busca pela vida fora da Terra pode ter na poluição uma aliada (Imagem: Qimono/Pixnio)

Medindo a poluição no espaço

  • Em 2014, González Abad publicou um estudo que discutiu a possibilidade de encontrar seres extraterrestres por meio das emissões de CFC.
  • Ele calculou que, se a concentração desses gases na atmosfera de um planeta distante atingir cerca de 10 vezes a sua concentração na Terra, talvez seja possível detectar sua presença com o telescópio espacial James Webb.
  • Os clorofluorcarbonos podem permanecer na atmosfera de um planeta por dezenas de milhares de anos.
  • Isso significa que uma civilização extraterrestre não precisaria, necessariamente, produzi-los por muito tempo para deixar traços de atividade.
  • Assim, talvez seja possível detectar CFCs se o planeta poluído orbitar uma pequena estrela anã branca, segundo indica González Abad.
  • Isso aumentaria as possibilidades de que quantidade suficiente de luz chegasse até a Terra.
  • Os cientistas conseguem procurar CFCs e diversas outras substâncias na atmosfera de planetas distantes estudando os espectros – comprimentos de onda específicos – da luz refletida por mundos alienígenas.
  • Como parte da luz é absorvida por certas substâncias durante a passagem pela atmosfera, as características exatas da luz emitida podem revelar quais substâncias estão presentes em um corpo distante.
  • Muitas das categorias de tecnoassinaturas extraterrestres já discutidas são inspiradas pelos poluentes criados pelos seres humanos aqui na Terra.
  • Os cientistas já consideraram, por exemplo, a possibilidade de se encontrar civilizações extraterrestres ao detectar quantidades imensas de calor residual emitidas por fontes industriais.
  • Outros sugeriram que, no caso de alienígenas que possam ter sucumbido a uma guerra nuclear em larga escala no seu planeta, poderíamos observar da Terra os flashes brilhantes da explosão das suas ogivas.